Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente
Início do conteúdo
Página inicial > Comunicação > Notícias > Integrantes de organização criminosa são presos com armas e drogas em Gravataí
Publicação:

Integrantes de organização criminosa são presos com armas e drogas em Gravataí

Integrantes de organização criminosa são presos com armas e drogas em Gravataí
Presos - Foto: Polícia Civil

Durante o cumprimento de cinco mandados de busca e apreensão, a Polícia Civil prendeu em flagrante uma mulher e dois homens por tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo em Gravataí. Com os indivíduos, foram encontradas 1.800 pedras de crack, uma espingarda calibre 12, um revólver, uma balança de precisão e um veículo, além de nove telefones celulares embalados em plástico filme.

A ação, que foi deflagrada no bairro Central, em uma localidade conhecida como Vila Brooklin, foi resultado de uma investigação policial que durou 2 meses, com o objetivo combater uma organização criminosa voltada à prática do crime de tráfico de drogas e esclarecer um esquema criminoso comandado por um indivíduo recolhido ao sistema prisional e sua companheira, em liberdade.

De acordo com o delegado Maurício Barison, da 4ª Delegacia de Investigação do Narcotráfico (4ªDIN), do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), apurou-se que a companheira do presidiário executava ações de gerência de outros integrantes da organização criminosa; os quais, também executavam crimes relacionados ao tráfico de drogas.

O Diretor de Investigações do Denarc, delegado Mario Souza, ressaltou a importância da ações e das apreensões dos aparelhos celulares: "Foi desarticulada uma organização criminosa responsável por crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, o que proporciona um considerável prejuízo ao crime naquela região da cidade. Os telefones possuem características idênticas aos objetos jogados ou encontrados sendo levados para o interior de casas prisionais. A apreensão desses aparelhos é fator que impede a comunicação e a agilidade de possíveis ordens de criminosos de dentro do sistema prisional”, explicou Souza.

 

Michel Fontana

RSS
Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul